No primeiro domingo de maio, em homenagem à Virgem Maria, é celebrado o Dia da Mãe.

Esta data simbólica pretende homenagear todas as mães. Todos os filhos demonstram o seu amor de múltiplas maneiras, seja através de um abraço sentido, de um poema, de um ramo de flores, de uma surpresa… Enfim, todas as formas são perfeitas para se mostrar o quanto as mães são especiais e essenciais e o quão importante é agradecer o seu empenho, dedicação e amor incondicional.

O Atelier B Creative decidiu também prestar homenagem às mães, dedicando-lhes a primeira atividade do terceiro período, intitulada Love your Mum.

Esta atividade consistiu em criar um jardim bucólico feito de flores elaboradas com caixas de ovos de várias cores. Assim, numa primeira fase, fez-se a reciclagem de caixas e o recorte de diversas figuras florais.

De seguida, cortaram-se bocados de arame, uns de cor prata e outros de cor dourada de tamanhos diversos para se fazerem os caules das flores. Estes foram, posteriormente, enrolados à volta de seixos de vários tons (brancos, castanhos, beges e cinzentos). Finalmente, as flores recortadas foram enfiadas nos arames de acordo com a imaginação e criatividade das alunas, não havendo uma flor igual.

Quando a assemblagem foi terminada, passou-se à instalação no átrio da escola onde foi realizado um jardim parcialmente vertical, parcialmente horizontal. Deste modo, quisemos agradecer carinhosamente a todas as mães!

Para completar esta homenagem merecida, o Atelier B Creative dedica a todas as mães o seguinte poema deJosé Luís Peixoto.

Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz.
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente.

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente.

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz.

lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.


                                                  As professoras Ana Cristina Cruz e Hélène Gonçalves