Lembras-me a natureza

Com a tua enorme beleza

A minha amada natureza

Com a tua enorme pureza

 

Teu olhar de magoada

Teus olhos relutantes

Lembram o orvalho da madrugada

Lembram estrelas cintilantes

 

Na noite de breu

Na luz do dia

Tudo me lembra o que é teu

Tudo me traz alegria

 

Sem água, os peixes não vivem

E eu não vivo sem ti

És o Sol que me ilumina

És a luz que sempre me guia

 

Se lágrimas teus olhos escorrem

Meus olhos escorrem também

Todas as flores refletem

Tua dor de te sentir ninguém

 

Eu amo a natureza

E a minha natureza és tu

És a minha fortaleza

Tu, Tu… e só Tu

 

Rita Pinto, 9.ºC