O coração dos espetadores e atores esteve visivelmente em festa no dia 25 de janeiro de 2019, neste sarau que contou com um programa variado e onde a vertente pedagógica não se distinguia da lúdica: canções, danças e duas peças adaptadas de conteúdos programáticos de Português e alunos de diferentes faixas etárias, do 5.º ao 12.º ano de escolaridade.

Num ambiente de alegria e entusiasmo, o polivalente da escola encheu-se com alunos/atores e seus amigos, familiares, pais, encarregados de educação, professores, entre outros.

O espetáculo iniciou com duas canções («Perder-me da razão» e «E se amanhã») pelo professor de Português e Inglês da escola Miguel Oliveira, que apresenta um currículo invejável, dado que já ganhou festivais de música acústica e vários concursos de rádio e televisão. O professor Miguel excedeu as expetativas do público, que interagiu com o cantor também no final do sarau, com várias músicas.

Seguiu-se a adaptação da peça «Farsa de Inês Pereira», de Gil Vicente, dramaturgo do início do século XVI. Foi representada de forma excecional e com pormenores bastante cómicos por alunos do 10.º B e os alunos do 6.º E e 6.º F animaram, de forma graciosa, os casamentos da bela Inês com danças da época.

 Nas escadas, subitamente, ouviu-se a voz melodiosa da aluna Leonor Alves, acompanhada à viola pela encarregada de educação Paula Serdoura, cantando «O Homem do Leme», dos Xutos e Pontapés.

Após esta canção, que transmitia sensação de coragem e vontade de viver, partindo da temática dos Descobrimentos, naturalmente, passou-se ao «Consílio dos deuses», peça que constitui uma adaptação de vários excertos de «Os Lusíadas», incluindo o episódio das Despedidas em Belém, pela professora coordenadora do Clube de Teatro da escola.

Os trinta e quatro atores (alunos do 2.º e 3.º ciclos e ainda do secundário, das turmas 5.º D, 6.º A, 7.º A, 8.º E, 9.º A, 9.º C, 11.º A, 12.º C, 12.º D e 12.º F, ao som da flauta do aluno Gonçalo Andrade) deram o seu melhor, transportando-nos com facilidade para o tempo de Camões: ora para o mar das Descobertas, ora para o monte Olimpo. Foram todos bastante aplaudidos e acarinhados pelo público.

A equipa do Clube de Teatro agradece de forma calorosa a todos os seus colaboradores, professores, encarregados de educação, alunos e assistentes operacionais que permitiram tornar este evento possível.

                                                                                                         Clube de Teatro