No nosso mundo,

Temos muitas palavras

Quentes, frias, gordas e magras.

 

Há palavras que,

Com o calor do fogo,

Se partem, como se fossem vidro.

Parece que algumas pedem socorro.

 

Todas juntas ao pé da lareira

Ouvem-se as brasas a queimar

E por vezes uma a gritar.

E porque está a gritar?

Porque o lápis foi lá roubar.

 

O quê?

A mais bela palavra que lá está.

E qual será?

Amor, porque para amar,

É só preciso juntar

as mais belas palavras

e as mais belas pessoas.

Para um belo poema

estas palavras teremos de juntar para o concretizar.

 

Joana Santos e Mónica Moreira (7.º E)