LaçosazuisO mês de abril é, de há alguns anos a esta parte, o mês escolhido para a realização de campanhas de sensibilização contra os maus tratos infantis. Campanhas essas, simbolicamente, identificadas por laços azuis.

Estas campanhas nasceram da necessidade, premente, sentida por uma avó americana (Bonnie Finney) de lembrar e homenagear o seu neto barbaramente espancado até à morte pela mãe e namorado desta. A cor azul foi escolhida pelo facto de, para além de ser bonita, ser uma cor que facilmente se associa à cor das nódoas negras que as crianças vítimas destas bárbaras atitudes colecionam por todo o corpo.

Se bem que a necessidade de estas campanhas se continuarem a realizar, um pouco por todo o mundo, seja ainda um sinal de que os maus tratos e os abusos contra crianças e jovens continuam a ser uma prática frequente, a visibilidade crescente que estas campanhas vão tendo, ano após ano, constituem um aspeto positivo, pois carregam a esperança de que aos poucos esta realidade seja eliminada. Assim, nunca é demais alertar todas as consciências, especialmente as mais distraídas e adormecidas, para a necessidade de se agir contra estas situações, impedindo que aconteçam ou, simplesmente, denunciando-as.

Neste sentido, os alunos das turmas B e C do 7.º ano e A e B do 9.º foram desafiados pela sua professora de Físico-Química para que comparecessem na escola, no dia 21 de abril, vestidos de azul (criando uma pequena onda azul) e colaborassem na elaboração de um cartaz alusivo à campanha, cartaz que, no final, deveria ser assinado por todos (em cor azul, é claro!).

Com a colaboração de todos, o cartaz nasceu, foi assinado por todos e foi afixado num dos corredores da escola para que todos os jovens fossem alertados para os seus direitos, mas também para os seus deveres. enquanto membros de uma sociedade que se quer justa e respeitadora.

Que a razão destas campanhas permaneça bem viva dentro de cada um de nós, não só durante o mês de abril, mas durante os doze meses do ano.

Ana Paula Teixeira